default_mobilelogo

031217 df 3

Ações de conscientização e investimento em engenharia de tráfego ajudam também na diminuição de mortes no asfalto .Para o diretor-geral do Detran, Silvain Fonseca, campanhas educativas, ações de conscientização e investimento

em engenharia de tráfego contribuem para a diminuição das mortes no trânsito. “Gastos em trânsito, seja com educação, seja com fiscalização, seja com engenharia, seja com informação, precisam ser vistos como investimento”, ressalta.                                                                                                                     

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem no DF (DER-DF), Henrique Luduvice, concorda que um dos caminhos mais harmônicos e seguros no tráfego passa pela educação. “A conscientização acontece quando o tema trânsito é colocado no dia a dia das instituições. Deve ser um assunto tratado em família, nas escolas, no trabalho e nas igrejas”, alerta. 

Na avaliação do professor de engenharia de tráfego da Universidade de Brasília (UnB) Paulo César Marques, duas frentes são essenciais para reduzir o número de acidentes e de mortes: a gestão do trânsito e a promoção da educação. “Quando se trabalha gestão de engenharia com sinalização gráfica e coordenação de semáforos, a sensação que passa para as pessoas é de mais segurança e ajuda, inclusive, na estrutura de uma fiscalização mais eficiente”, afirma.

  

O especialista destaca, ainda, que, entre as iniciativas educacionais, é importante promover o combate de uma cultura de velocidade. “Às vezes, as pessoas pensam que uma diferença de 60km/h para 50km/h, como foi implementado nas vias arteriais em São Paulo, é pequena, mas esse patamar faz uma diferença fundamental no impacto do acidente e na própria resistência do corpo humano”, explica.

Em 28 de novembro, o limite de velocidade na principal via do Lago Norte caiu de 70km/h para 60km/h. Placas instaladas desde 27 de novembro indicam a mudança. No Taquari, ocorrerá o mesmo. Hoje, a circulação nas pistas internas respeita o limite de 50km/h e passará a ser de 40km/h, a partir do momento em que a sinalização for concluída. Isso deve levar cerca de 15 dias. O Detran estuda ampliar o projeto para outras vias do DF, como em Ceilândia, reduzindo de 60km/h para 50km/h.

Correio Braziliense,  03 dezembro 2017 - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 
 

TRÂNSITO: UMA QUESTÃO DE EDUCAÇÃO!

ABETRAN – George J Marques